segunda-feira, 28 de julho de 2014

CATÓLICOS DE DIREITA DEVERIAM SEGUIR O PAPA E PEDIR PAZ EM GAZA

EMPRESA VIRA COMITÊ DO PSDB E É PUNIDA PELA JUSTIÇA ELEITORAL

Saiba como proteger da Empiricus: TSE determina 
retirada de propaganda irregular
No último dia 25 de julho, a campanha de Dilma Rousseff 
entrou com uma representação judicial junto ao TSE contra 
Aécio Neves e o Google por propaganda eleitoral irregular. 
Hoje (27), a justiça determinou que o o google retire 
imeditatamente do ar toda e qualquer propaganda irregular 
da Empiricus. 
Nós já dissemos aqui como funciona a atuação da Empiricus, 
empresa que se define como “casa independente de análise 
de ações” e oferece recomendações sobre o mercado 
financeiro. Já explicamos aqui como as consultoras e 
empresas do ramo têm usado a especulação eleitoral para 
criar um cenário de terror nestas eleições de 2014.
Pois bem, ao contrário da oposição – que entra com 
República (link is external)– nós respeitamos o direito 
de livre expressão, conforme previsto no Marco Civil da 
Internet - a legislação mais avançada no que diz respeito 
à rede no mundo todo e que o governo federal, em parceria 
com a sociedade civil, tornou possível.
Acontece que o conteúdo divulgado pela Empiricus em 
sites de grande circulação como os dos jornais O Estado 
external) ultrapasa os limites da liberdade de informação e 
fere o que está previsto na legislação eleitoral. Ao anunciar 
formas de “proteger o seu patrimônio da Dilma”, a empresa 
cria um cenário de terror creditando à reeleição da presidenta 
uma possível oscilação (normal, diga-se de passagem) do 
mercado financeiro. Tal qual fez o banco Santander nesta 
semana, como noticiamos aqui.
Além da propaganda contrária à Dilma, a empresa ainda criou 
chamadas favoráveis ao candidato da oposição, Aécio Neves. 
Ao abrir uma página vinculada a um anúncio da Empiricus e 
clicar em uma notícia sobre política, você corre o risco de se 
deparar com a seguinte mensagem: "E se o Aécio Neves 
Ganhar? Que ações devem subir se o Aécio Ganhar a Eleição? 
Descubra Aqui, já".
Nós somos a favor da liberdade de expressão e, mais ainda, 
do jogo limpo – dentro e fora de campanha. A Dilminha é Paz 
e Amor, mas respeito é bom e a gente gosta. Empiricus, chega 
de propaganda eleitoral irregular!

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/148127/Em-sua-
guerra-ao-terror-Dilma-mira-Empiricus.htm

AÉCIO-PORTO ACABOU COM DISCURSO DE "GESTÃO E ÉTICA" DO PSDB

VEJA COMO É POSSÍVEL DERROTAR ALCKMIN E ELEGER PADILHA

Emílio Lopez: Alckmin perde 31% do tempo de TV; 2º turno a caminho?

publicado em 26 de julho de 2014 às 12:59
Alckmin-Skaf-e-Padilha
por Emílio Lopez, especial para o Viomundo
Com base nas pesquisas das últimas semanas, muitos acham que o governador  Geraldo Alckmin (PSDB) será reeleito no primeiro turno.
O cenário eleitoral, porém, caminha para um provável segundo turno.
Estes fatores poderão contribuir para isso:
1) Pela primeira vez, o candidato do PSDB não terá o maior tempo de TV e rádio. Esse benefício ficará com a oposição.  Sem contar os demais candidatos,  Paulo Skaf (PMDB) e Alexandre Padilha (PT), juntos, terão metade do horário eleitoral.
A tabela abaixo compara o tempo de TV e rádio de 2010 com o de 2014.  Alckmin perdeu  31% tempo de TV que tinha em 2010, ou seja, 2 minutos a menos. O candidato do PT ficou estável, já que ganhou 6 segundos. O grande beneficiado foi Skaf: cresceu quase 4 minutos.
tempo de tv-002
Fonte: TRE/SP
2) No plano federal, o tempo de TV e rádio é outro problema para os tucanos. Dilma Rousseff terá 11 min23s, Aécio Neves, 4 min33s e Eduardo Campos, 1 min54 s.
Em relação à eleição de 2010, Dilma terá 47s a mais na TV, Aécio perderá 2min42s e Eduardo ganhará aproximadamente 30 segundos.
As perdas de tempo de TV no Brasil e no Estado de São Paulo não decidem a eleição, mas dificultarão os ataques de Alckmin aos adversários. E o contra ataque pode ser mortal. Se o tempo de Dilma for usado, por exemplo, para lembrar o propinoduto tucano pode ter um efeito importante para equilibrar a discussão da ética, assim como  na disputa paulista.
3) Outro aspecto pouco mencionado é a queda do voto cristalizado, espontâneo, em Alckmin. Segundo a última pesquisa Datafolha, esse voto caiu de 19% para 10%.  A pesquisa em que ele obteve 19%  foi feita no  momento em que ocorriam as inserções publicitárias do PSDB. A mais recente dá 15%. Um sinal que a eleição paulista está em aberto.
Roberto Toledo, articulista do Estadão,  no artigo Frankenstein eleitoral, chama a atenção para um dado interessante: metade dos eleitores petistas ainda vota em Alckmin, mas isso deve se reverter e pode empurrar a eleição para o segundo turno.
4) Outro aspecto importante é o voto em Lula. Representa mais de um quarto dos votos dos paulistas, o que pode, em tese, levar a eleição para segundo turno, já que provavelmente contribuirá para a subida de Padilha.
5) Ainda devemos levar em conta as candidaturas ao Senado. José Serra (PSDB) terá 2 min19 s de TV, Eduardo Suplicy, 2min5s, e Gilberto Kassab, 2min52s. Já para deputado federal os partidos com Skaf terão 6min10s, PT-PCdoB, 3min45s, e PSDB-DEM-PPS, 2min57s.
As pesquisas apontam praticamente empate entre Serra (33%) e Suplicy (29%). Kassab está com 7%, mas terá mais exposição. Provavelmente com maior exposição Kassab deverá subir e tirar votos de Serra, o que pode beneficiar Suplicy, especialmente agora que Marina Silva (Rede) declarou apoio à sua candidatura.
6) Além disso, a coligação de Alckmin perdeu 95 candidatos  a deputado estadual entre 2010 e 2014. Houve redução de 10% nas candidaturas do PSDB, 36%  nas do DEM e 70% do PPS. Mas, mesmo assim, Alckmin terá o apoio de 669 candidatos.
Skaf terá o apoio de 265 candidatos. Um crescimento de 30% frente a 2010, com destaque ao crescimento de 46% do PMDB.
Já Padilha terá apoio de 247 candidatos. Um crescimento de quase 31%, com destaque para o crescimento do PR (+229%), PC do B (+17%)  e PT (6%).
7) Não devemos esquecer também que, em 2010, não houve segundo turno por 50 mil votos e as manipulações das pesquisas ajudaram. Só faltando dois dias para a eleição o Datafolha apontou a possibilidade de segundo turno, quando outras pesquisas já haviam apontado esta possibilidade antes.
8) Outro fator que pode contribuir para a eleição ir para segundo turno são as brigas intestinas do PSDB.Aécio e Alckmin só estão unidos nas fotos, como mostra a jornalista Julia Dualibi. Isso sem falar de Serra, que só pensa nele.
Neste cenário, a campanha do PSDB paulista deverá sofrer um bombardeio oposicionista em dois pontos bem sensíveis: os casos de corrupção, notadamente no Metrô e CPTM, e no setor elétrico com o caso de Robson Marinho; e a falta de água, que poderá se agravar próximo ao auge do período eleitoral, especialmente no interior paulista.
Para complicar ainda mais a situação de Alckmin, a Siemens deverá entregar em agosto ao Ministério Público as provas contra o governo estadual em relação à corrupção no Metrô e na CPTM.
Por tudo isso é muito provável haver segundo turno nas eleições do maior estado da federação.
http://www.viomundo.com.br/politica/alckmin-perde-mais-de-30-tempo-de-tv-segundo-turno-em-sao-paulo.html

ÉPOCA (DA GLOBO) FAZ ESCÂNDALO VAZIO CONTRA DEPUTADA COMUNISTA...

Como usar a estatística para ser canalha

26 de julho de 2014 | 21:50 Autor: Fernando Brito
manuela
Nos tempos de faculdade, havia uma piada – hoje certamente considerada de mau-gosto – que dizia que a estatística era como a minissaia: mostrava tudo, menos o essencial.
Hoje chega ao meu conhecimento a nota do senhor Marcelo Sperandio, auxiliar da coluna de  Felipe Patury, da Época*, sobre a deputada Manuela D’Ávila, a quem mal conheço de vista e a quem não tenho, portanto, nenhum interesse pessoal em defender, a não ser do que julgo ser uma manipulação acanalhada dos números.
Diz a nota que a cidadã aumentou em 1200% seu patrimônio.
Um espanto, não é?
Aí, lê-se que a fortuna da deputada chega a 184 mil reais.
Ora, não existe nada de incompatível em ter essas economias – a maior parte em caderneta de poupança – para alguém que, como deputada,  tem vencimentos de R$ 26 mil por mês.
A desonestidade moral  é tanta que se escreve que ela “enriqueceu – e muito”.
Com um patrimônio de R$ 184 mil, certamente muito menor do que ele próprio ou seu chefe  possuem.
O jornalismo não pode virar uma cloaca.
Um jornalista que não se escandaliza com o gasto de mil vezes mais, em valor de hoje, de gasto do dinheiro público para prover Aécio Neves de um aeroporto que, há pelo menos quatro anos, funciona como particular, não pode escrever  que é escandaloso aquela senhora ter R$ 94 mil numa caderneta de poupança no Banco do Brasil.
Até a sordidez deve ter limites.
PS. Na primeira postagem, disse que eram da Veja, são da Época. E foram da Veja.
http://tijolaco.com.br/blog/?p=19446

domingo, 27 de julho de 2014

QUEM DIZ QUE O BRASIL VAI MAL, GANHA DINHEIRO COM ISSO

TERRORISMO ECONÔMICO
TEM NOME E SOBRENOME

As posições compradas em Petrobras na BM&F dão para produzir 
um milhão de coquetéis Molotov​

Na quarta-feira (23), o Tesouro Nacional (brasileiro) decidiu captar no mercado externo 
US$ 1,5 bi para alongar (adiar) o pagamento da divida.

Como a procura foi de US$ 4 bi, o negocio ficou em US$ 3,5.

Os títulos serão pagos em 2045, com uma taxa de juros menor do que o Brasil pagava.

Um horror !

Enquanto isso, um “economista de banco”, do Santander associou-se à Sininho e 
resolveu incendiar a Camara Municipal.

O Santander tem indiscutível autoridade técnica para detonar o Brasil, quando se 
confirmar, no primeiro turno, a vitória da Dilma.

(Leia no “Em tempo sobre a última do Ataulfo Merval (*) )

Como diz amigo navegante do C Af, foi o Santander quem fez a avaliação da Portugal 
Telecom para a fusão com a BrOi e não viu que a operadora portuguesa tava bichada.

Aliás, quando se sacramentar a vitória da Dilma no primeiro turno, o Santander deveria 
fechar as portas no Brasil e entregar as chaves ao Banco do Brasil…

E voltar para a Espanha … esse colosso !

Quem mais exercita o “terrorismo econômico”?
A primeira usina de terrorismo econômico é a poderosa indústria sucro-alcooleira, 
que está uma fera porque a Dilma não aumenta o preço do álcool.

A ponto de o Binho Ometto, na cerimonia do Homem do Ano, em Nova York, 
fazer um discurso tão violento contra a Dilma que o embaixador brasileiro se 
sentiu constrangido e só não foi embora porque, afinal, é um diplomata.

Daí surgem lamurias e  “pessimismo do mercado”, a necessidade de “despertar o 
instinto animal” dos empresários.

“Instinto animal” é dinheiro do Tesouro, BNDES, inside information ou aumento de 
preços da Petrobras …

Essa indústria da cana não muda desde o Conde de Nassau.

Outra fonte de  terrorismo tem nome e sobrenome, segundo irretocável reportagem 
de Carlos Drummond, na capa da revista Carta Capital dessa semana (que já nos 
ofereceu o Mino e o Mauricio Dias, igualmente irretocáveis).

“O mercado criou o Dilmômetro – como sistema financeiro pretende influenciar as 
urnas”, está na capa.

Drummond conta, primeiro, quando e por que surgiu o terrorismo – de que o 
PiG (**) e seus jeniais colonistas (***) são lacaios.

Surgiu em setembro de 2010, quando a Petrobras – sempre a Petrobras – lançou 
R$ 115 bilhões de ações no mercado e diluiu o valor da carteira dos acionistas no mercado.

Houve uma venda maciça de papeis, a começar por George Soros, mentor intelectual 
do Arminio NauFraga – que desovou uma posição de US$ 640 milhões !!!

(Deve ter ficado uma fera !)

(Lembra de 2002, amigo navegante, quando o jenial Soros disse que era o Cerra 
ou o caos ?)

Com isso, mesmo os bancos que participaram do lançamento das ações 
(como o Itaúúú – PHA) venderam desesperadamente, no movimento de manada 
liderado por Soros.

E depois, como se nutriu o terrorismo ?

Nessa terça-feira 22, conta Drummond, a BM&F tinha 96.370 contratos em ações 
da Petrobras e, um record, 256 mil contratos em aberto (em ações da Petrobras).

É uma fábula de dinheiro !

Dá pra produzir um milhão de coquetéis  Molotov ! – PHA

No topo, com R$ 236 BILHÕES (a ênfase é minha – PHA), a Corretora UBS, 
antiga Link, dos filhos de Luiz Carlos Mendonça de Barros, nascida 
com perspectivas radiosas de desenvolvimento depois da privatizaçao 
(aqui chamada de Privataria Tucana – PHApelo Governo Fernando 
Henrique, a envolver, por conduta suspeita, o então Ministro e pai da 
rapaziada, afastado no final do episódio. Segue-se a Credit Suisse, 
ex-Hedging Griffo, com R$ 195 BILHÕES. A terceira posição é ocupada 
pelo Morgan Stanley (160 BILHÕES) … BTG Pactual, R$ 65 BILHÕES (é onde 
trabalha o Pérsio Arida que vai ao exterior falar mal do Brasil – PHA) …”

É essa rapaziada aí que está “pessimista”.

Que alimenta o terrorismo.

E as colonas dos jornalistas de Economia, que, como diz o Delfim 
não são um nem outro.

Já imaginou, amigo navegante, se a Petrobras fosse a Petrobrax, que maravilha 
haveria de ser ?

Se a Graça desse uma palinha, uma inside informationzinha … ?

Se o preço do etanol fosse para os píncaros da Lua ?

Que maravilha !!!

O PiG ia dizer que a Petrobras voltou a ser eficiente !

O Binho ia a Nova York dizer que a Dilma é uma cruza de Jesus Cristo 
com John D. Rockefeller.

Esse é o Dilmômetro.

Pra variar, o Dilmômetro é uma bomba-relógio colocada na porta de entrada 
da Petrobras, na Avenida Chile.

Porque, como se sabe, a eleição de 2014 é sobre a Petrobras – e a Ley de 
Medios, ou seja, a Globo, onde quem manda é a editoria “o Brasil é uma m…”.

Em tempo: a colona do Merval deste sábado 26 é um tiro no pé. Ele dá a 
entender que o horário eleitoral gratuito não tem a menor importância. Como 
do Dudu (que também sumiu …), juntos.

Quer dizer que dez minutos no horário nobre da Globo não tem a menor 
importância, Ataulfo ?

Não deixa o diretor comercial da Globo saber disso, Merval !

Isso pode lhe custar o emprego – na Globo News …

Paulo Henrique Amorim
http://www.conversaafiada.com.br/economia/2014/07/26/terrorismo-
economico-tem-nome-e-sobrenome/