sábado, 25 de outubro de 2014

VEJA INVENTA DELEGADO SEM-NOME, E A FOLHA SÓ COPIA...

Folha varre o lixo da Veja e serve as sobras ao público, por Ricardo Amaral


Folha varre o lixo da Veja e serve as sobras ao público
Ricardo Amaral
Jornal retoma o triste papel que lhe coube em 2010: secundar notícias da revista contra o PT
A Folha passou a tarde de sexta azucrinando assessorias de imprensa do governo e do PT. Anunciava ter a confirmação da capa da Veja e novos detalhes sobre a suposta denúncia do doleiro Yousseff divulgada pela revista. Era blefe. Mais um.
A manchete de hoje limita-se a reproduzir o enunciado da revista: Lula e Dilma sabiam, disse o doleiro. Sem apuração própria, a Folha repete o erro jornalístico fundamental de Veja: não informa quem teria ouvido a suposta denúncia de Yousseff.
Qual é o nome do delegado que teria tomado o depoimento do doleiro na terça-feira?
Qual é o nome do representante do Ministério Público?
Qual é o nome do advogado que acompanhava o depoente?
Sem esses nomes – ao menos um deles – é impossível fazer uma checagem independente do que afirma a revista.
A revista que inventou o grampo sem áudio inova outra vez e nos apresenta o delegado fantasma, o promotor invisível e o advogado anônimo.
A Folha acrescenta a esse roteiro uma conversa que teria ocorrido entre Lula e o deputado José Janene. Que está morto. Mais uma vez, o recurso a uma acusação impossível de checar.
Na edição deste sábado a Folha retomou o triste papel de secundar matérias da Veja contra o governo e o PT.
Foi assim em 2008, quando sustentou por semanas a história rocambolesca do “dossiê dos cartões corporativos”, nascida na revista.
Foi assim no primeiro turno de 2010, quando tentou preencher, com histórias requentadas, o suposto dossiê da “equipe de inteligência” da campanha de Dilma, outra criação original de Veja.
Foi assim no segundo turno, quando publicou entrevista com um vigarista condenado, para manter acesa denúncia da revista contra a ex-ministra Erenice Guerra. Era uma fonte tão desqualificada que seu depoimento foi terceirizado, da revista para o jornal.
No tempo em que havia jornais, era comum correr atrás de furos da concorrência e tentar assumir a liderança de uma cobertura. Não é esse o caso nessa véspera de eleição.
Hoje a Folha recolhe o lixo da Veja. E serve as sobras ao público, a serviço de seu candidato.
PS: A propósito de apuração própria, sem fazer escândalo, o site do Estadão oferece outra versão sobre as supostas referências de Yousseff a Lula:
“Todas as pessoas com quem eu trabalhava diziam o seguinte: ‘todo mundo sabia lá em cima, que tinha aval para operar. Não tinha como operar um tamanho esquema desse se não houvesse o aval do Executivo. Não era possível que funcionasse se alguém de cima não soubesse, as peças não se moviam”.

O doleiro, na versão do Estadão, não afirma que “Lula sabia”. E sequer menciona Dilma. Ele apenas supõe. Se é que supôs.
http://jornalggn.com.br/noticia/folha-varre-o-lixo-da-veja-e-serve-as-sobras-ao-publico-por-ricardo-amaral

QUEM CONFIA E ANDA COM BANDIDO É O QUE?

Porque a história do doleiro é uma ofensa a qualquer inteligência

25 de outubro de 2014 | 08:45 Autor: Fernando Brito
nempenemcabeca
Se no Brasil se fizesse jornalismo e não campanha eleitoral nos jornais, a história do doleiro Alberto Youssef esbarraria num “pequeno” problema, sem o qual mesmo como “denúncia”, o que ele teria dito – se é que disse –  não deveria ser publicado, porque falta um elemento essencial.
É simples, mas indispensável a que qualquer pessoa medianamente inteligente dê um grama de crédito e continue a ouvir o que se diz.
Mas tão obvio que, sem qualquer parcialidade política e de forma apenas cartesiana a história fica frágil como uma fofoca.
Como é que um bandido de terceira categoria, recém-saído (2004) da cadeia, operando numa cidade do interior do Paraná, que não tem contatos pessoais nem com Lula nem com Dilma Rousseff afirma, como diz a Veja, que “eles sabiam”?
É a pergunta óbvia que os promotores e policiais que se apressaram a dar a “bomba” à Veja fariam, é obvio.
E o que qualquer jornalista digno de um mínimo de profissionalismo lhes perguntaria.
Imaginemos, então, que, perguntado, Youssef tivesse dito que o ex-diretor da Petrobras Paulo Costa, lhe contara.
Então, já temos “Youssef diz que Paulo Roberto disse que Lula e Dilma sabiam”
Como Paulo Roberto Costa não era, nem mesmo ele alega isso, pessoa dos círculos de intimidade de Lula e Dilma, mesmo que não tenha dado uma simples “garganteada” sobre seu poder, para isso seria preciso que alguém lhe tivesse dito.
Digamos, um ministro, um senador ou um deputado.
E a notícia já seria “Youssef diz que Paulo Roberto Costa disse que um deputado ou o Ministro X disseram que Lula e Dilma sabiam”
Isso, claro, sem contar que o deputado, o senador ou o Ministro não estivessem invocando os nomes dos presidentes para dar cobertura à falcatrua que negociavam.
Elementos para comprovar ou dar um mínimo de credibilidade a isso? Nenhum.
Ora, será que um policial, um promotor, um juiz poderia tomar esta informação como verdade sem mais nada a comprová-la?
Por que um jornalista o faria, então?
Mais, por que, isso sendo dito a três dias de uma eleição presidencial, um policial, um promotor, um juiz ou um jornalista não vai se questionar se a declaração – se é que existe – tenha sido dada com objetivos políticos, para colher gratidões de um resultado político-eleitoral que possa advir da acusação?
E aí, de novo apelando para o raciocínio mais simples e direto: apenas porque, por interesse e parcialidade política, torna-se cúmplice daquele que o próprio juiz do caso, Sérgio Moro, chamou de “bandido profissional”.
E cúmplice de bandido, bandido é.
http://tijolaco.com.br/blog/?p=22471

VEJA É PROIBIDA PELA JUSTIÇA DE DIVULGAR SUA CAPA MENTIROSA!!!

TSE proíbe Veja de fazer propaganda de capa

Ricardo Brito
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar na noite desta sexta-feira (24) que proíbe a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação da reportagem de capa segundo a qual a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras. A reportagem diz se basear em depoimento prestado na última terça-feira (21) pelo doleiro Alberto Youssef no processo de delação premiada a que ele se submete para ter direito à redução de pena.
O pedido para impedir a publicidade da matéria foi apresentado pela campanha de Dilma na tarde desta sexta-feira. A defesa da petista requereu ao tribunal que a revista se abstivesse fazer propaganda de sua capa, que tem, na opinião dos advogados de Dilma, conteúdo ofensivo à candidata à reeleição. Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves.
A ação da defesa de Dilma se ampara no artigo da Lei das Eleições que prevê que a propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito, sendo proibida a veiculação de propaganda paga. Essa mesma vedação, segundo campanha da petista, é estendida à divulgação de propaganda na internet e por meio de outdoors. Em caso de descumprimento da liminar, os advogados de Dilma cobram a aplicação de multa de R$ 1 milhão por veiculação proibida.
A campanha da presidente argumentou ainda que a revista Veja antecipou sua edição em dois dias com a "nítida intenção de tumultuar a lisura do pleito eleitoral do próximo domingo (26)". Citam ainda que a revista teria postado no Facebook dela, com 5,4 milhões de seguidores, notícia com o título "Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobras: Dilma e Lula sabiam". Essa propaganda teria sido reproduzida na página oficial do PSDB, partido do adversário na disputa ao Palácio do Planalto, também na mesma rede social.
http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1633812-tse-proibe-veja-de-fazer-propaganda-de-capa

TV TUCANA SUSPENDE ENTREVISTA COM MEDO DE CRÍTICAS AO GOLPE DO PIG

Rui Falcão, presidente nacional do PT, certamente iria falar sobre a intensa e criminosa campanha que a velha mídia (inclusive a Tv Cultura dos tucanos paulistas) fez contra Dilma. Na verdade, nem foi contra a candidata vitoriosa, mas contra o processo eleitoral democrático e contra o direito do cidadão-eleitor informar-se. 
Com medo de transmitir certas verdades que o PIG censura do povo, a TV cancelou a prometida entrevista. Veja a Nota Oficial do PT a respeito de mais esta censura: 
NOTA OFICIAL
O Partido dos Trabalhadores estranha e lamenta o cancelamento da entrevista do seu presidente nacional, Rui Falcão, no programa Roda Viva da próxima segunda-feira, dia 27. No dia 14 de outubro, a coordenação do programa entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do partido para convidar o presidente para a entrevista. O convite foi aceito. A entrevista se realizaria apenas se a presidenta Dilma Rousseff vencesse o segundo turno das eleições. Ainda segundo a coordenação do programa, caso o candidato Aécio Neves vencesse, haveria uma entrevista com um representante do PSDB. No convite, a coordenação do programa destacou que essa entrevista é uma “tradição” da TV Cultura de São Paulo.
Hoje, sexta-feira (dia 24), no final da tarde, o editor do programa comunicou à assessoria do PT que a entrevista foi cancelada e que, no seu lugar, irá ao ar um debate entre jornalistas sobre o cenário pós-eleições.
O cancelamento ocorreu após a emissora já ter, inclusive, convidado e confirmado a participação dos jornalistas que comporiam a bancada de entrevistadores do programa. Entre eles estavam representantes dos jornais O Globo, Valor Econômico, Folha de S.Paulo e Estado de S.Paulo, além da rede internacional CNN.
Assessoria de Imprensa do PT Nacional

GOLPE DA VEJA VIRA PIADA INTERNACIONAL. O POVO DARÁ O TROCO...

POVO REAGE AO GOLPISMO DA VEJA. E É SÓ O COMEÇO...